Category Archives for "Negócio"

Investir na bolsa ou investir em imobiliário?

investir na bolsa ou imobiliário

A grande questão.

Ao longo dos últimos anos, tenho-me deparado com clientes, leitores e seguidores que me fazem esta pergunta repetidamente.

Por isso, decidi escrever um mega artigo sobre ela, para a minha posição ficar totalmente clara e poder dizer às pessoas que me façam esta pergunta "leiam o artigo no blog". 

Ora bem, eu sou investidor imobiliário e aloco aí a enormíssima parte do meu portfólio. A minha carteira de investimentos vai além do imobiliário, como de resto expliquei em detalhe no primeiro episódio da nossa rubrica no Youtube "Conversas no Sofá":

E depois deste video várias pessoas me perguntaram "mas não é muito arriscado ter uma grande parte do portfólio alocada a uma só classe de activos"?

Esta pergunta respondi com muito detalhe neste outro video:

Então vamos lá dissecar esta questão com pormenor.

A falácia de "um é melhor que o outro"

O imobiliário tem um desempenho melhor, de uma forma genérica, que a bolsa de valores. Para 2019, o imobiliário aparece super bem cotado, como tem vindo a ser hábito, apesar dos perigos de bolha nos grandes centros, para os quais eu já chamei várias vezes à atenção (o Banco de Portugal também fez referência e alguns já consideram que pode haver uma retracção em 2019).

Mas calma... existem imensas variáveis nesta comparação!

Também encontramos períodos em que a bolsa de valores ultrapassou largamente o imobiliário.

Mas a que bolsa de valores nos referimos? A um índice nos Estados Unidos, ou ao nosso PSI20, o índice português?

E que períodos consideramos?

Está a ver como esta questão é altamente falaciosa? Eu consigo defender o imobiliário, da mesma forma que um fanático por acções (sim, eu sou fanático por imobiliário...) consegue defender as acções. É quase como em ciência: há estudos para defender X e estudos para defender o oposto de X... tudo depende da seriedade, imparcialidade e transparência do analista.

Em jeito de remate (e deixa para o resto do artigo): não há um claramente melhor que o outro... isto porque...

Um até é melhor que o outro... dependendo do investidor

Até parece um contrasenso, mas não é.

O imobiliário para mim é vastamente superior a qualquer classe de activos. E queria sublinhar o vastamente.

Mas um amigo meu alemão ficou multi-milionário, quase sem saber, através de criptomoedas. Para ele, as criptomoedas foram melhores que o imobiliário.

Já percebeu a ideia: o melhor depende do perfil de cada investidor. Quer investir a partir de casa, sem conhecer ninguém? Quer colocar dinheiro e só se lembrar dele no dia do "cash out"? Ou prefere colocar algum do seu tempo e trabalho, interagir com pessoas (inquilinos, etc) e conseguir uma rentabilidade espectavelmente melhor?

Agora vou explicar-lhe características das acções e do imobiliário que o vão ajudar a escolher o "seu melhor" activo.

Características fortes do imobiliário

Para decidir qual o activo onde colocar as fichas, devemos estar bem cientes das características do imobiliário e acções.

O imobiliário tem, para mim, 4 pontos fortes (que tanto se podem encaixar ou não no seu perfil - você é que terá que avaliar):

  1. Necessário gastar tempo e recursos para gerir os investimentos (ou trocar por uma rentabilidade mais baixa, delegando a um gestor de propriedade, a alguém que arrende os imóveis, etc). Isto não se aplica a acções, porque nas acções não existe mais nada além do investimento em si, grosso modo;
  2. É necessário ter "know how" para remodelar e manter os seus imóveis (ou trocar por uma rentabilidade mais baixa, contratando empreiteiros e gestores de propriedade);
  3. O imobiliário está fortemente apoiado pelo código fiscal (ou seja, é vantajoso fiscalmente, como activo), mesmo que investimentos em habitações secundárias tenham vindo a perder benefícios nos últimos anos. Falar com um fiscalista e o meu livro são as melhores formas de começar a estudar o assunto.
  4. O grande benefício do imobiliário: o "deep value"; Isto é aquilo que eu chamo comprar imóveis muito abaixo do seu real valor (note que não pode fazer isso com acções - que são cotadas em tempo real). A rentabilidade do imobiliário, por causa disto, é genericamente superior aos dividendos das acções.

Agora vamos avaliar este prisma nas acções...

Características fortes das acções

As acções são um veículo de investimento muito (mas mesmo muito) diferentes do imobiliário.

Assim, é expectável que haja pessoas que naturalmente tenham uma conexão com o investimento imobiliário enquanto outras pensem imediatamente em como investir na bolsa.

Mas vamos às características das acções:

  1. Têm possivelmente valorizações "explosivas" comparativamente com imobiliário (que também pode valorizar tremendamente, mas com menor probabilidade), mas na realidade muita gente foge das acções que têm um potencial de valorização altíssimo pela necessidade de "know how" muito forte; É que as acções que podem valorizar tremendamente são muito particulares, e por isso exigem muito conhecimento técnico (muitas vezes da própria área das respectivas empresas).
  2. Além do conhecimento relativo a investimento genérico em acções e eventualmente as áreas subjacentes aos negócios das empresas, não é preciso muito mais; pelo contrário, o imobiliário necessita de um "jogo de cintura" e um conhecimento de certas áreas, como a avaliação técnica dos imóveis, obras, lidar com inquilinos, etc. Desta forma, e sabendo que estou a generalizar muito, considero o investimento em acções mais "simples".
  3. Pode ser totalmente feito a partir de casa, e muito passivo. Pelo contrário, o imobiliário é muito activo. Ou seja, as acções não têm sanitas que partem, canalização que entope e telhados que se danificam. Além de uma monitorização superficial (isto para quem não investe só a longo prazo) e rebalanceamento esporadiamente, não é preciso fazer mais nada.
  4. Os dividendos são "sólidos e controlados" nas acções ditas mais "seguras". Como em todos os investimentos, existe um claro trade-off entre rentabilidade e risco. Nas acções de empresas com mais de 50 anos no mercado, a história mostra que têm sido muito sólidos e certos, mas controlados (ou seja, não dão propriamente 10%...).

Diferenças entre investir na bolsa e em imóveis

Ditas as características de cada classe de activos, importa agora dizer algumas coisas que ajudem alguém a decidir o que é mais adequado para si, com base nas principais diferenças entre investir na bolsa e em imobiliário:

  1. Um é passivo, o outro nem por isso (a não ser que opte por investir em fundos imobiliários).
  2. Um permite recurso à alavancagem (crédito) de forma natural, o outro não.
  3. Um é tangível, o outro nada.
  4. Um é monetizável como quiser ou souber. O outro é fixo.
  5. Num tem um negócio, noutro tem uma parte de um negócio.

Saber qual o melhor para si vai depender do quão confortável está com cada um destes pontos, e o quão eles se adaptam ao seu perfil de investidor.

Por exemplo, no meu caso pessoal, seria ridículo para mim não ter o grosso do meu portfólio "à vista", ou seja não poder ver e tocar no grosso do meu portfólio. Não tem a ver com show off no imobiliário - tem a ver com o factor de conforto, que é objectivamente pessoal.

Como começar a investir em imobiliário?

O imobiliário tem, na minha opinião, 4 vectores essenciais, que cubro com detalhe (mas de forma prática) no meu livro:

capa investimento imobiliário
Investir em imobiliário: do 0 ao milhão” foi escrito por Artur Mariano, PhD, com vista a ser a referência dos livros em Portugal para investimento imobiliário. O livro cobre vários aspectos do investimento imobiliário, incluindo modelos de investimento, questões relativas a financiamento e procura de imóveis, entre muitos outros. Este livro é direccionado para todos os investidores, desde os iniciantes aos experientes, e para pequenos e médios senhorios/investidores imobiliários."

e que aqui deixo resumidamente:

  1. Procura de imóveis (abaixo do valor de mercado). Um assunto já discutido aqui, mas esgrimido com detalhe no meu livro. 
  2. Obras e remodelações. Se a maior parte dos imóveis bons no mercado necessitam de obras, dominar este vector (do ponto de vista técnico e comercial) é essencial. 
  3. Aquisição e interacção com clientes (inquilinos). Os imóveis não dão dinheiro! Quem dá dinheiro são os inquilinos...
  4. Financiamento. Ao contrário das acções, que não são naturalmente "alavancáveis", o imobiliário está muito ligado ao financiamento.

Comprar ações de imobiliário... o quê?

Como analista externo da XTB, analiso REITs.

REITs são "Real Estate Investment Trusts" ou veículos de investimento imobiliário cuja distribuição é cotada em bolsa.

Ou seja, pode adquirir parte de um REIT na bolsa de valores. Esse REIT depois investe em imobiliário, em parte com o capital dos accionistas.

Na prática é como se investisse em imobiliário... pela bolsa (comprando acções como quaisquer outras).

Aqui fica o primeiro webinar que produzi como analista externo da XTB, sobre REITs, que lhe vai ensinar muita coisa (nota: os direitos deste video pertencem à XTB):

Como investir na bolsa / em acções?

OK, o tema "REITs" não é o que procura e apenas quer saber como investir na bolsa?

Começar a investir na bolsa é simples:

  1. Abrir conta numa corretora e transferir um valor;
  2. Procurar acções (stocks) e comprar participações (shares) - ou outro ativo negociado na bolsa, como ETFs.

Ora, desta forma, é mais ou menos óbvio que quase toda a ciência destes investimentos estão na procura de acções interessantes, correcto?

Se concordar, a minha recomendação é que antes de começar a investir na bolsa, nesse caso, aprenda a analisar acções ou subscreva um produto de recomendações (faça questão de escolher uma empresa registada na CMVM).

Bons investimentos!

Melhores livros sobre investimento imobiliário e economia – para investidores imobiliários

livros investimento imobiliário economia

Ao longo da minha formação como investidor imobiliário eu li centenas de livros sobre investimento imobiliário. A minha formação de base não está relaccionada com o investimento imobiliário, por isso refugiei-me nos livros para aprender sobre investimento imobiliário (também fiz 2 cursos, um online e um presencial, nos Estados Unidos).

Depois de cerca de 143 livros lidos sobre o tema (dos que gostei ou tomei nota), achei que mesmo assim faltava um livro em Portugal sobre o investimento imobiliário, porque toda a literatura que existia era aplicável apenas a outros países. E foi aí que decidi escrever o meu livro "Investir em imobiliário: do 0 ao Milhão":

O imobiliário tem várias especificidades dependendo de que país falamos. Por exemplo, ao ler um livro norte-americano sobre investimento imobiliário é necessário saber filtrar aquilo que é aplicável e aquilo que não é. Há muito para saber na hora de investir em imobiliário: primeiro existem várias formas de investir em imóveis, e vários modelos diferentes que os investidores podem seguir. Saber qual a forma que melhor se adapta a si, como investidor, é complicado se não se conhecerem as várias formas de investir.

Mas mais que isso. Na hora de investir, eu olho para um livro como uma forma barata, que custa dezenas, de poupar erros que custam milhares. E o contrário: investir em imóveis que valorizem milhares ao ler essa informação de um livro que custe dezenas. E logo a seguir a ter um mentor, alguém que lhe ensine tudo sobre o "jogo" do imobiliário, a melhor forma de entrar no mercado imobiliário e investir em imóveis é mesmo lendo muito...​

Este artigo compila aqueles que são, na minha opinião, os melhores livros sobre investimento imobiliário, economia e investimento em geral (nota: este artigo será actualizado constantemente).

Livros co-editados pela ArrowPlus

"Investir em Imobiliário: do 0 ao milhão"

Não considerar o meu próprio livro seria desonesto, porque eu acredito que é o melhor livro sobre investimento imobiliário disponível em Portugal e lá fora. Literalmente do 0 ao milhão, eu cubro todos os passos do investimento imobiliário, desde a procura de imóveis a um valor abaixo do valor de mercado (já que é na compra que se ganha dinheiro) passando por todos os pontos chave, como o financiamento, encontrar inquilinos e escalar um portfólio até à escala do milhão. Pode adquirir o livro aqui mesmo, no nosso site ou então na Amazon, através deste link, que lhe ficará mais caro porque tem que pagar as taxas, mas pagará menos portes dependendo do seu país de residência.

"Do 0 ao milhão": desde o lançamento até hoje

O meu livro está a ser um sucesso, desde o lançamento (Janeiro de 2018) até hoje.

Em primeiro lugar, é o único manual prático que existe no mercado. É o resultado de mais de 10 anos de experiência em investimento imobiliário, mais de 300 livros lidos no tema, contacto com clientes, sócios, proprietários, inquilinos, e uma grande vontade de criar valor.

Quando lancei o livro tive o apoio da Empiricus Research Portugal, para onde prestava consultoria à data do lançamento. A equipa da Empiricus motivou-me a colocar no papel aquilo que tinha na cabeça e a rever as mais de 200.000 palavras(!) que tinha escrito sobre o assunto ao longo dos anos.

Hoje o livro tem uma cotação fantástica no Goodreads e Amazon (onde também está disponível em formato Kindle). Também está traduzido para Inglês, pode ver aqui, e actualmente a ser traduzido para Espanhol, Italiano e Alemão.

"Domine a lei imobiliária"

Este é outro livro co-editado pela ArrowPlus, e tendo eu estado desde o início "em cima" do que o livro continha, a sua mensagem, comunicação e conteúdo, também seria desonesto não considerar este livro neste ranking dos melhores livros de investimento imobiliário, investimento e economia. Este livro toca em todos pontos legais de maior interesse para o investidor imobiliário e senhorios, acompanhados de exemplos, alguns deles vividos na primeira pessoa no escritório do autor. Inclui sugestões e alertas que evitam situações que possam comprometer um investimento, através de uma linguagem simples e objectiva, acompanhada de várias minutas dos documentos mais utilizados. Pode adquirir o livro aqui mesmo, no nosso site ou então na Amazon, através deste link.

domine a lei imobiliária


"Domine a lei imobiliária": desde o lançamento até hoje

Lançámos este livro em Janeiro de 2019, depois de um processo longo de escrita e edição. Na altura, gravámos um podcast de pré-lançamento do livro, que pode ver aqui:

Também tivémos uma apresentação estrondosa, na cidade da Guarda, que reuniu mais de 300 pessoas e que documentámos aqui. Se não esteve presente pode ver o video da apresentação do evento:

Outros livros 

"Millionaire Real Estate Investor"

É um livro na linha daquele que eu escrevi, tem várias estratégias de como investir em imobiliário e fez algo que ainda me passa pela cabeça fazer (noutro ângulo): intrevistou 120 investidores imobiliários milionários. A quantidade de informação presente permite desenvolver o "mind-set" que eu considero essencial para ser um investor milionário de sucesso, ao mesmo tempo que toca nas estratégias. É o livro que recomendo, juntamente com o meu, aos iniciantes e aos investidores médios. Pode comprar o livro aqui (link afiliado).

"Gestão de Activos Imobiliários"

Este é um livro técnico sobre a gestão de activos imobiliários. Fala de algo importante, como é manter a receita regular ao longo do tempo, e a performance económica do activo. Não é o primeiro livro que eu recomendo a investidores iniciantes (nem avançados), mas é, na minha opinião, um excelente complemento a outros livros. Gostei de o ler e gostei da visão que é dada na história/tradição, além do olhar à legislação que criou uma tendência favorável ao investimento imobiliário. Escrito por João António Carvalho, docente do ISEG. Pode comprar o livro aqui (link afiliado).

A cultura da leitura em Portugal

Apesar da cultura em Portugal ser pouco favorável à leitura de livros, foram vendidos em 2017 quase 12 milhões de livros em Portugal. Isto na sequência de uma série de anos vertiginosos para os livros físicos, que têm vindo a cair a pique desde 2012 - tal como livrarias e editoras.

Na ArrowPlus facilitamos o desenvolvimento de livros no nicho do investimento imobiliário, co-editando esses livros com a Darkpurple - editora financeira, para incentivar a cultura financeira e a cultura do imobiliário em Portugal. É do nosso entender que um livro traduz não só uma produção valiosa de conhecimento, mas também oferece um retorno fantástico a quem os compra, por serem baratos (comparativamente a cursos, por exemplo).

Leia. Não roube direitos de autor. Cresça. E devolva à sociedade.

Boas leituras.

Como realizar negócios rentáveis em imobiliário (e além dele…)

negócios rentáveis em imobiliário, negócios rentáveis áreas de negócio

Encontrar negócios rentáveis em imobiliário (mesmo que seja ao nível de serviços) pode ser algo muito complicado... se procurar nos sítios errados!

Já agora, se está à procura de outro tipo de negócios rentáveis, isto é, além de imobiliário, tem várias opções para tal no fim deste artigo; garanto-lhe que vai valer a pena lê-lo.

Mas o que quero afinal dizer com procurar nos sítios errados?

Já pensou que se a média dos mercados onde procura, a nível de rentabilidades, for apenas 5%, será muito mais complicado encontrar negócios rentáveis do que se procurar esses negócios noutros mercados, onde a rentabilidade é muito maior?

OK, parece óbvio. Mas seja honesto consigo próprio: será que está a procurar imóveis nos mercados mais rentáveis, (que são provavelmente longe do seu local de residência)?


Provavelmente não!

Mas se eu disse uma coisa óbvia, então porque é que não está a cumprir? É a mesma história de comer fast food “ocasionalmente”: se comer fast food hoje, e se se pesar logo a seguir, não ficará mais gordo ou pesado logo a seguir. Mas será que pode assumir que se comer fast food todos os dias não ficará mais gordo?

A única diferença entre fast food e o imobiliário, é que o imobiliário torna-se gordura localizada... com a fast food poderá corrigir indo ao ginásio. Com o imobiliário só mesmo gastando dinheiro e “ficando a arder” financeiramente...

Bom, provavelmente já se questionou quanto à problemática de comprar imóveis para arrendar e isso valer a pena, correcto? Se não o fez, deixo-lhe este video que eu fiz e aborda esta mesma questão:

Especialmente no caso de estar a começar a investir em imóveis, deve evitar cometer erros. Eles podem facilmente “matar” as suas hipóteses de se tornar um investidor de sucesso.

Mas vamos aos vários ângulos dos negócios em imobiliário, porque nem tudo se resume a investimento em portfólio...

Imobiliárias e consultoras: são mesmo negócios rentáveis?

A minha opinião é que é possível transformar qualquer negócio num negócio rentável e até num negócio muito rentável. Até um restaurante num sítio onde a maior parte dos restaurantes não têm clientes suficientes para se manter no activo.

A realidade é que aquilo que faz diferença é ser um excelente empreendedor e lutar selvaticamente (sem nunca pisar a linha da ética, legalidade, etc) para tornar o seu negócio num negócio próspero.

Dito isto, existem vários pontos importantes a considerar no caso de se querer montar uma consultora no ramo imobiliário ou uma imobiliária.

Antes de mais, note que dependendo da sua actividade, pode necessitar de licenciamento próprio para o efeito. No caso de querer abrir uma imobiliária, necessitará de uma licença AMI, atribuída pelo INCI. Poderá ver neste portal aquilo que é necessário para obter uma licença AMI.

E quanto ao negócio?

Uma imobiliária ou uma consultora para assuntos imobiliários são empresas muito específicas, que requerem um conjunto de pessoas com formação e capacidades muito específicas.

Uma imobiliária pode perfeitamente ser um negócio muito rentável, especialmente quando os mercados estão muito quentes. As comissões de venda de imóveis são geralmente muito altas, e se trabalhar sozinho ou com uma micro pequena equipa, basta muitas vezes que venda duas ou três casas por mês para faturar acima da média.

No entanto, as imobiliárias estão altamente expostas ao quão bem os mercados estão. Os mercados imobiliários flutuam muito em função dos ciclos económicos, e manter uma imobiliária quando o mercado está em baixo, pode ser muito complicado se a mesma não for bem gerida...

Uma consultora não tem esse problema, mas é um modelo de negócio bastante menos escalável. Enquanto numa imobiliária pode continuar a contratar agentes que trabalham à comissão, numa consultora isso é muito mais difícil fazer, porque a formação de um analista é ainda mais específica e é algo irrealista um analista trabalhar à comissão.

Porém, note que só em 2018, algumas imobiliárias sozinhas facturaram dezenas de milhões de euros. Sim, estes podem ser excelentes negócios!

Neste artigo vamos analisar estas questões de uma forma profunda, o que permitirá ajudá-lo a determinar que negócios são mesmo rentáveis e que negócios poderá montar, com base na sua análise.

Rentabilidade para negócios rentáveis com imóveis

O imobiliário em Portugal está a viver um período absolutamente louco... 80% das casas são vendidas em menos de 6 meses!

Pessoalmente até preferia viver num mercado menos agitado. Um mercado agitado leva muita gente a investir pura e simplesmente por causa da febre do momento, comentendo erros. Aliás, eu publiquei recentemente um artigo de opinião no Diário Imobiliário, onde alertei para a sobrevalorização dos grandes mercados, como Lisboa e Porto - e quase que fui fulminado por pessoas que trabalham nesses mercados... As próprias tendências para o mercado imobiliário em 2018 são verdadeiramente diferentes...

Mas o que é afinal um negócio rentável com imóveis? Como se mantém? E como se foge a febres e mercados em bolha? Na minha opinião, um negócio rentável em imobiliário, isto é, um investimento que seja rentável, é simplesmente um investimento com boa rentabilidade e que não tenha perspectivas de correcção agressivas. Já a valorização é um factor muito importante, mas também mais difícil de prever...

O grande truque, na minha opinião, do imobiliário, é encontrar imóveis a um preço muito abaixo do valor de mercado...

Aliás, já viu os meus videos sobre este tema?

Encontrar imóveis abaixo do valor de mercado permite tanto o lucro na liquidação como a subida da rentabilidade durante o negócio. E para mim um negócio rentável em imobiliário é aquele que tem um retorno de pelo menos 10% ao ano...

10%? Não é um valor muito alto?

A minha resposta em particular: nem por isso...

Negócios rentáveis... portfólios rentáveis

Não podemos dizer que um imóvel de investimento é propriamente um negócio montado, a não ser que seja um imóvel tão grande (ou tão caro) que retorna só por si uma renda que permita referir-se a esse investimento como um negócio.

E o que é uma renda considerável? Isso já depende dos seus objectivos, naturalmente. Eu diria que deve apontar para os milhares de euros mensais. Mesmo que no seu caso em concreto seja impossível atingir esta meta, como diria o Dr. Lair Ribeiro... “aponte para o céu, mesmo se errar estará entre as estrelas”.

Um cliente meu, o Peter, dos Estados Unidos, procurou-me e disse-me que queria começar um portfólio imobiliário em Portugal, e ter uma casa perto do mar, para poder fazer surf. Este foi um dos processos mais marcantes com que lidei, por vários motivos...

Primeiro, foi necessário explicar ao Peter o mercado imobiliário em Portugal e a forma como funciona. E mais que isso, que a rentabilização de imóveis nestas zonas pode ser particularmente especifico.

Segundo, o tipo de imóvel a encontrar é extremamente relevante. O Peter acabou, com base num estudo feito por nós, por comprar um pequeno prédio de 3 apartamentos, utilizando um para uso próprio e arrendando os outros muitas vezes a amigos norte-americanos. O negócio revelou-se muito mais rentável (e benéfico para uso pessoal) do que aquilo que seria a ideia original que o Peter tinha... 

Negócios rentáveis fora do imobiliário

Aqui, enumeramos vários negócios rentáveis fora do imobiliário...

Negócios rentáveis online

Recentemente dei uma entrevista onde partilhei a minha visão sobre empreendedorismo digital. 

De forma simplificada, eu disse e fundamentei o porquê de acreditar que Portugal irá passar por uma explosão do mercado online, que este irá crescer de forma muito acentuada e como isso será benéfico.

Estou muito confiante que essa é a minha visão e acredito que quem apanhar agora o barco vai ter um upside muito grande...

Basicamente estamos a migrar para o digital muito rapidamente. Aquilo que demorava 10 anos a chegar a Portugal (seja uma moda, um padrão de consumo, etc) hoje demora 2 ou 3. E quer queiramos quer não, vamos migrar para o digital também em Portugal.

Quem começar agora, vai ter imenso upside no longo termo. “Mas o contexto não é bom.”; “E começar um negócio (especialmente online) em Portugal é extremamente complicado...”

Eu percebo, o contexto em Portugal não é bom. Simplesmente o português demora muito a ter a confiança – o tal factor necessário em qualquer venda - necessária para comprar e os métodos usados actualmente são demasiadamente tradicionais. E o público não está preparado para comprar maioritariamente online. Eu sinto a sua dor.

Mas o resto não é verdade...

  • Os empreendedores não estão cheios de “dívida académica”, como acontece nos Estados Unidos. A maioria está livre para arriscar.
  • Estamos cheios de benefícios para migrar para o online – nem falo apenas do upside. Se hoje em dia criar uma empresa na “Empresa na Hora” tem 1 ano de alojamento e domínio gratuitos! E criar uma loja online é gratuito em Portugal!
  • A falta de capital não é argumento; eu também tive que trabalhar o dobro ou o triplo para singrar.

E que negócios rentáveis online poderia eu começar hoje, se não tivesse um projecto?

  • Venda de roupa a baixo custo. Marca própria. Qualidade. Preço baixo.
  • Venda de café e acessórios. Qualidade, variedade. Estamos num país que consome quatro vezes mais café que a Alemanha, sendo que a Alemanha tem 8(!) vezes mais população que nós.
  • Venda de produtos próprios, como livros (por falar nisso, já leu os nossos?). É escritor? Acha que tem particular aptidão para criar conteúdo de qualidade e uma mensagem importante para passar? Crie a sua marca, venda-se a si próprio.

Venda de serviços próprios. Novamente, crie a sua marca, venda-se a si próprio.

Negócios rentáveis low cost e baixo investimento

Em actualização...

Negócios rentáveis em Portugal em 2018

2018 está a ser um ano espectacular. A economia portuguesa está no melhor período dos últimos anos. No imobiliário, estamos a tocar em marcas “loucas”, como lhe mostrei em cima. Mas o resto da economia respira saúde...

O outro lado da moeda é que podemos estar perante um crash a qualquer altura. Por isso, na altura de pensar em negócios rentáveis, deve também pensar na possibilidade da economia derreter nos próximos tempos...

Mas OK, com isso em mente, o que seriam negócios rentáveis? É claro que eu apenas lhe posso dar ideias daquilo que seriam negócios rentáveis, não lhe posso indicar exactamente que negócios deve começar.

Mas aqui vão as minhas ideias:

  1. Empresas de serviços com procura crescente devido à evolução da sociedade comercial. Estes são os verdadeiros negócios em expansão. Ontem eram empresas de trabalho temporário, que mudaram o panorama comercial do país, hoje são plataformas de freelancing para trabalhadores independentes venderem os seus serviços.
  2. Produtos de consumo. Com a economia em alta, o consumo está em alta. Hoje é fácil importar de fora barato e vender no mercado caro. A logística cresce, mas para quem está disposto a cobrir essa logística, tem várias oportunidades de negócio...
  3. Produção própria e única. Na alimentação, os biológicos estão na moda. A produção de alimentos biológicos disparou nos últimos anos. Consegue identificar um novo nicho de mercado semelhante, para outras áreas de negócio?